Category: Número 11 - Outubro 2009

08-10-09

FESTAS DE ARRAIAL 2009

Permalink 16:25:23, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

OS "COSTUMES" FORAM CUMPRIDOS

Em alinhamento com o conteúdo do guião de uma telenovela actualmente a passar num dos canais da televisão portuguesa, não podemos deixar de afirmar que os “costumes” se cumpriram no que respeita às festas anuais do Poço Redondo de 2009. Bem sabemos que outra coisa não seria de esperar, mas nunca é demais recordar que só com o envolvimento em massa da população, como o que aconteceu, é possível às Comissões atingirem os níveis de excelência que se verificaram.

As Festas do Poço Redondo têm sido, desde há muitos anos, uma referência na região, quer pelo número de forasteiros que nos visitam, que este ano num só dia se situaram na ordem dos 3.000, quer pelo resultado económico que alcançam. No entanto, este ano, dada a crise que avassala o País, as expectativas foram largamente ultrapassadas.

A experiência dos festeiros foi determinante, é certo. Mas se a adesão que se verificou não tem acontecido e o S. Pedro não tem ajudado, a situação teria sido bastante mais complicada.

Tudo foi programado com rigor e se num ou noutro aspecto se verificou alguma falha, tal circunstância apenas se deveu a razões estranhas à organização, já que o empenho de todos foi por demais evidente.

Na componente lúdica tudo correu pelo melhor. Bons conjuntos, bons espectáculos e óptima garraiada. E quanto à parte religiosa apenas podemos dizer que foi extraordinária, tendo como ponto alto a procissão que, como é sabida, é das mais imponentes das freguesias rurais do concelho, chegando a atingir cerca de duzentos metros de comprimento.
Contamos que os festeiros deste ano voltem a repetir o feito num futuro não muito longínquo, e que os do ano que vem não deixem seus créditos por mãos alheias.

EDITORIAL

Permalink 16:22:15, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

Os grupos de pressão ou de interesses, vulgarmente conhecidos por lobbys, têm como actividade influenciar, aberta ou secretamente, decisões do poder público, nomeadamente do político, legislativo, judiciário, económico, etc.

Constituídos por pessoas que partilham os mesmos interesses e objectivos, os lobbys actuam de forma organizada e concertada, no sentido de verem privilegiados os seus interesses privados, não raramente em prejuízo dos interesses gerais.

Portugal não foge à regra e, como tal, frequentes são as vezes em que nos vemos confrontados com decisões aberrantes, por força da acção dos grupos de pressão ou de interesse, onde, a grosso modo, vale tudo menos tirar olhos.

Os lobbys desportivos, dos bancos e de outros sectores da vida pública, quase sempre na sombra, fazem tais jogos de bastidores que acabam por levar a bom porto aquilo que numa apreciação simplista se afigura como muito improvável ao comum do cidadão.

Por tudo isto, não será de estranhar que os lobbys gay, hoje com grande peso a nível nacional, não venham a conseguir brevemente a legalização do casamento entre homossexuais e adopção de crianças. Se assim fôr e o “pandam” funcionar, tudo se encaminha para que, num golpe de genética, dia menos dia, as maternidades recentemente fechadas venham a ter que reabrir para dar vazão aos nascimentos resultantes do relacionamento entre os elementos destes grupos.

Américo Pereira

PRÓXIMOS EVENTOS

Permalink 16:21:06, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

OUTUBRO:
dia 24 - TORNEIO ABERTO DE SUECA

NOVEMBRO:
dia 1 - VII FEIRA DAS TASQUINHAS, EM OLALHAS
dias 14 e 15 - VI MOSTRA DE ARTESANATO

VIVER NA ESPECULAÇÃO ... OU ESPECULAR PARA VIVER?

Permalink 16:18:32, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

Nos últimos tempos o mundo tem assistido a um desenrolar de acontecimentos negativos que se têm verificado nos mercados financeiros, e cujas consequências estão bem visíveis no nosso dia-a-dia.

Uma das principais causas deu-se há precisamente um ano, com a falência do quarto maior banco dos EUA, o Lehman Brothers, sendo esta a maior insolvência de sempre naquele país.
O colapso desta instituição fez com que todo o sistema financeiro do mundo ocidental estremecesse, pondo assim em causa o crescimento entretanto verificado ao longo das últimas décadas.

Em poucas semanas vários bancos e companhias de seguros, nos EUA e na Europa, entraram em risco de falência, o mercado do crédito ficou praticamente congelado, as bolsas caíram a ritmos nunca antes vistos, e, consequentemente, a economia entrou em recessão. A título de exemplo, registe-se que só nos últimos meses de 2008 mais de cem bancos norte-americanos entraram com pedidos de falência.

De acordo com os dados da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o impacto directo da falência do Lehman Brothers no mercado português ascende a 185 milhões de euros, divididos entre 61 milhões em fundos de investimento e 124 milhões em gestão de patrimónios.
Tudo isto resulta da forma como funcionam este tipo de mercados (financeiros), ou como funcionava até agora. Ora, como é do conhecimento geral, um dos factores pelo qual estes se regem, sobretudo o mercado bolsista, é o factor “especulação”. Este palavrão é um termo que vamos ouvindo com alguma regularidade, mas que muitos não sabem ao certo o que é, nem como pode influenciar a variação de um determinado preço, produto ou mercado.

Para que melhor se perceba este factor, vamos recorrer a um exemplo. Uma história engraçada de “mesa de café”, mas que nos elucida de forma clara.
Ora vejamos:

Estava-se no Outono e os Índios de uma reserva americana perguntaram ao novo Chefe se o Inverno iria ser muito rigoroso ou se, pelo contrário, poderia ser mais suave.
Tratando-se de um Chefe Índio mas da era moderna, ele não conseguia interpretar os sinais que lhe permitissem prever o tempo, no entanto, para não correr muitos riscos, foi dizendo que sim senhor, deveriam estar preparados e cortar a lenha suficiente para aguentar um Inverno frio.
Mas como também era um lider prático e preocupado, alguns dias depois teve uma ideia. Dirigiu-se à cabine telefónica pública, ligou para o Serviço Meteorológico Nacional e perguntou:
"O próximo Inverno vai ser frio?"
ao que o meteorologista de serviço respondeu:
"Parece que na realidade este Inverno vai ser mesmo frio"
O Chefe voltou para o seu povo e mandou que cortassem mais lenha. Uma semana mais tarde, voltou a falar para o Serviço Meteorológico:
"Vai ser um Inverno muito frio?"
"Sim," -responderam novamente do outro lado - "O Inverno vai ser mesmo muito frio".
Mais uma vez o Chefe voltou para o seu povo e mandou que apanhassem toda a lenha que pudessem sem desperdiçar sequer as pequenas cavacas.
Duas semanas mais tarde voltou a falar para o Serviço Meteorológico Nacional:
"Vocês têm a certeza que este Inverno vai ser mesmo muito frio?"
"Absolutamente" -respondeu o homem - "Vai ser um dos Invernos mais frios de sempre"
"Como podem ter tanto a certeza?" - perguntou o Chefe
ao que o meteorologista respondeu:
"Os Indios estão a aprovisionar lenha que parecem uns doidos."

E assim funciona grande parte do mercado bolsista...

Marino Gomes

SABIA QUE ...

Permalink 16:12:31, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

O ouro foi o segundo metal conhecido depois do cobre, muito provavelmente por volta de 5.000 a.C.

No início era encontrado por cima da terra, bastando peneirar com água para que ele aparecesse. Só mais tarde foi descoberto incrustado nas pedras, o que levou os egípcios a usar o fogo para as aquecer e a água fria para provocar um choque térmico e rachá-las.

De acordo com os dados disponíveis já terão sido descobertas, até hoje, cerca de 163 mil toneladas deste metal.

FESTAS DE 2010 JÁ EM MARCHA

Permalink 16:11:17, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

Apesar de já algumas vezes não ter sido fácil a constituição de Comissões de Festas de Arraial e de ainda não há muito tempo a Festa do Divino Espírito Santo constituir a grande oportunidade para arregimentar os membros para as mesmas, a situação, felizmente, tem-se vindo a alterar nas últimas décadas, o que tem levado, salvo raras excepções, a que este problema seja resolvido a tempo e horas, regra geral com pelo menos um ano de antecedência.

Tem sido assim num passado recente e pelos movimentos que se advinham, assim continuará a suceder.

Portanto, não é de estranhar que a Comissão para 2010 já se encontre não só constituída, como a dar os primeiros passos na organização que, como se espera, venha a atingir o brilho das anteriores, até porque alguns dos seus membros já têm alguma experiência nesta matéria.

Conforme apresentação já efectuada nas Festas de 2009, a Comissão de Festas de 2010, será constituída pelos jovens:
Hugo Pereira (mordomo)
Luís Campos
José Cartaxo
Tiago Pereira
Nelson Garrucho
Mário Lã-Branca Batista
Luciano Antunes Cartaxo
Frederico Miguel Monteiro.

GRIPE A - COMO SE PROTEJER A SI E AOS OUTROS

Permalink 16:08:50, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

A gripe A é uma doença infecto-contagiosa provocada pelo vírus H1N1 e que afecta o nariz, a garganta e a árvore respiratória. Os primeiros casos confirmados desta doença surgiram em Abril de 2009, no México, propagando-se posteriormente a outros países, em vários continentes. Em Junho, a Organização Mundial de Saúde elevou para seis o nível de alerta de pandemia, devido ao rápido crescimento e dispersão do número de casos a nível mundial.

Os sintomas de infecção pelo vírus H1N1 nos seres humanos são semelhantes aos provocados pela gripe sazonal:
- Febre de início súbito (superior a 38º graus);
- Sintomas respiratórios (tosse, nariz entupido);
- Dor de garganta;
- Dores corporais e musculares;
- Dor de cabeça;
- Arrepios;
- Fadiga;
- Vómitos e diarreia (embora não sendo típicos da gripe sazonal, têm sido verificados em alguns dos casos de infecção).

Modo de Transmissão:
O vírus transmite-se pelo ar, de pessoa para pessoa, através de gotículas de saliva libertadas quando se tosse ou espirra; ou através do contacto com os olhos, nariz ou boca, de mãos que tocaram objectos ou superfícies contaminadas com gotículas de uma pessoa infectada.

Período de Contágio:
Os doentes podem contagiar outras pessoas por um período que dura até sete dias (período de transmissibilidade). Contudo, é prudente considerar que um doente mantém a capacidade de infectar outras pessoas durante todo o tempo em que manifesta sintomas.
O período de incubação da gripe A, ou seja, o tempo que decorre entre o momento em que a pessoa é infectada e o aparecimento dos primeiros sintomas, pode variar entre um e sete dias
Mesmo sem sintomas de gripe, é importante adoptar algumas medidas de prevenção no quotidiano:
- Lave as mãos frequentemente com água e sabão - É fundamental fazê-lo com água e sabão em abundância, pelo menos durante 20 segundos, em particular depois de tossir ou espirrar. Em alternativa, pode usar toalhetes à base de álcool.
Memorize os passos necessários para a lavagem das mãos de forma correcta:
• Aplique sabão suficiente para cobrir toda a superfície das mãos;
• Esfregue as palmas das mãos uma na outra;
• Coloque a palma direita sobre o dorso esquerdo com os dedos entrelaçados e vice-versa;
• Coloque palma com palma com os dedos entrelaçados;
• Coloque a parte de trás dos dedos nas palmas opostas com os dedos entrelaçados;
• Esfregue o polegar em sentido rotativo, entrelaçando na palma direita e vice-versa;
• Esfregue rotativamente para trás e para a frente os dedos da mão direita na palma da mão esquerda e vice-versa.
- Se tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com um lenço de papel - Para impedir que outras pessoas venham a adoecer, é muito importante que, quando tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com um lenço de papel ou com o antebraço, mas nunca com a mão. Deposite de imediato o lenço utilizado no lixo;
- Evite o contacto das mãos com os olhos, nariz e boca - Procure não tocar nos olhos, nariz e boca sem ter lavado as mãos, porque o contacto destas com superfícies ou objectos contaminados é uma forma frequente de transmissão da doença;
- Limpe frequentemente as superfícies ou objectos mais sujeitos a contacto com as mãos - É necessário manter limpas, com um produto de limpeza comum, as superfícies sujeitas a contacto manual muito frequente, tais como mesas de trabalho e maçanetas das portas (o vírus permanece activo nas superfícies entre duas a oito horas);
- Evite o contacto próximo com pessoas com gripe.

A lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções com base alcoólica e a limpeza de superfícies e objectos com líquidos de limpeza doméstica permitem a detruição do vírus.

Se ficar doente:
- Se estiver com sintomas de gripe, permaneça em casa e contacte a Linha Saúde 24, pelo número 808242424, de forma a proteger-se e evitar a transmissão a outras pessoas;
- Mantenha-se afastado dos outros, pelo menos a um metro de distância, limpe várias vezes por dia as superfícies em que toca manualmente e não partilhe utensílios pessoais (toalhas de casa de banho, guardanapos, louças, talheres ou copos) para proteger as pessoas mais próximas;
- Deve arejar frequentemente a casa, abrindo as janelas;
- O uso de máscaras pode ajudar a reduzir o risco de contágiio;
- O isolamento do doente deve durar, pelo menos, sete dias ou até os sintomas desaparecerem.

Se contactar com uma pessoa doente:
- No caso de contacto próximo com uma pessoa doente, deve ficar de quarentena, mesmo que não tenha sintomas de gripe, para proteger a sua saúde e evitar a disseminação da doença;
- A quarentena representa ficar em casa durante três dias, desde o contacto com a pessoa doente até à confirmação ou negação da doença. Durante este período deve ter precauções em relação ao contacto com os restantes habitantes da casa e não deve receber visitas;
- Nesta situação é importante manter a distância mínima de um metro dos outros, reforçar as medidas de higiene pessoal, lavar todos os objectos pessoais e utilizar máscara facial.

A maioria das infecções registadas em tudo o mundo apresenta um quadro clínico benigno. Há, no entanto, registo de casos graves relacionados com esta infecção, em vários países, motivados pelo agravamento de uma situação de doença pré-existente ou por complicações decorrentes da própria infecção.

Apesar disso, não há razão para alarme, mas sim para manter uma atenção redobrada.

Recomendações para mulheres grávidas:
As mulheres grávidas têm maior probabilidade de ter complicações graves, tal como acontece com a gripe sazonal, mas não há evidência que tenham maior probabilidade de contrair esta infecção e, caso tal aconteça, podem fazer o mesmo tratamento que o resto da população.

Com casos na comunidade em que reside ou no emprego, deve prestar especial atenção ao seu corpo e ao que está a sentir. Se sentir sintomas ligeiros de gripe, permaneça em casa, limite o contacto com outras pessoas e telefone para a Linha Saúde 24.

Recomendações para Mulheres a amamentar e Recém-nascidos:
Também os recém-nascidos podem desenvolver complicações graves com o vírus H1N1. Para proteger os bebés, as mães devem:
- Ter excepcional cuidado com a lavagem das mãos, que deve ser frequente, com água e sabão ou com uma solução alcoólica;
- Manter o bebé afastado de pessoas doentes ou áreas afectadas;
- Limitar a permuta de brinquedos com outras crianças, sobretudo os que se levam à boca;
- Lavar frequentemente os objectos que o bebé ponha na boca.

Escolas e outros Estabelecimentos de Educação:
Estes estabelecimentos devem adoptar medidas adequadas de prevenção e contenção, em estreita articulação com os pais e as Autoridades de Saúde locais. Conhecer as manifestações da doença e as formas de transmissão constitui a melhor forma de, sem alarmismos, adoptar as medidas de prevenção mais adequadas consoante a situação:
- Se não existem casos suspeitos ou confirmados de Gripe A -. Essas medidas consistem apenas num conjunto de regras de higiene pessoal, pelo que devem ser incutida nas crianças a prática de medidas de prevenção;
- Se existem suspeitas de Gripe A - Devem adoptar-se medidas de isolamento a decidir caso a caso, tendo por base a identificação do risco, em estreita articulação com a Autoridade de Saúde local;
- Se existem casos confirmados de Gripe A - As pessoas infectadas não devem frequentar a escola por um período mínimo de sete dias ou até que lhes seja dada alta clínica, devendo permanecer em casa.

Sempre que pretende viajar para fora da Europa deve marcar uma consulta de saúde do viajante. Se viaja com a família, designadamente com crianças e idosos, tenha em atenção os cuidados especiais de que necessitam.

A situação actual implica que sejam adoptadas no estrangeiro as mesmas medidas de prevenção que em Portugal, nomeadamente:
- Evitar o contacto com pessoas doentes;
- Lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou toalhetes com solução de álcool;
- Evitar tocar com as mãos nos olhos, nariz e boca;
- Cobrir a boca e nariz quando espirrar ou tossir, usando lenço de papel, sempre que possível, e deitando-o no lixo de seguida;
- Limpar as superfícies sujeitas a contacto manual (como maçanetas das portas e corrimãos), com um produto de limpeza comum.

Se ficar doente durante a viagem deve permanecer no hotel ou em casa e consultar um médico, se necessário.
Se apresentar sintomas de gripe dentro dos sete dias após o regresso ou tenha mantido contacto próximo com pessoas que apresentam sintomas de gripe, deve permanecer em casa, ligar para Linha Saúde 24 e seguir as instruções recebidas.
O uso de máscaras por pessoas doentes pode ajudar a reter as secreções respiratórias, quando tossem ou espirram, e reduzir o risco de transmissão às pessoas com quem contactam. Podem ser úteis nas deslocações para casa ou para o hospital e quando são tratados em casa por membros da família ou contactam de perto com outras pessoas.
O uso de máscara por pessoas saudáveis destina-se a evitar o contacto inadvertido da boca e do nariz com as partículas infecciosas presentes nas mãos ou expelidas através da tosse e dos espirros de outras pessoas. A máscara pode conferir uma protecção suplementar às pessoas que cuidam, em casa ou noutros contextos não hospitalares, de alguém com sintomas de gripe.

Regras para uso correcto de máscaras de protecção:
- As máscaras devem ser cuidadosamente colocadas sobre a boca e o nariz e atadas com firmeza.
- Enquanto usa a máscara não deve tocar-lhe com as mãos. Sempre que tocar numa máscara usada, por exemplo ao retirá-la, deve lavar as mãos com água e sabão ou desinfectá-las com uma solução alcoólica.
- Substitua as máscaras sempre que ficarem húmidas.
- Para retirar e eliminar uma máscara convenientemente deve partir do principio de que a parte da frente da máscara cirúrgica está contaminada;
- Deitar fora as máscaras descartáveis após uma única utilização, num saco de plástico que deve ser bem fechado.
- Em seguida, lave bem as mãos.

LIMPEZA DA FONTE DO VALE DA SERPA

Permalink 16:02:48, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

Começando apenas como meros trabalhos de manutenção, após a sua recuperação em 1998, o que é hoje conhecido como “limpeza da Fonte do Vale da Serpa”, representa muito mais que isso, não só pelo cada vez maior envolvimento dos sócios, como pelo agradável convívio que a todos proporciona.

Longe vão os tempos em que aquele local, outrora a única Fonte do Lugar com tanque de lavar roupa, entretanto tomado por silvas e mato, era quase inacessível, em perfeito contraste com tempos idos, quando a fresca água a jorrar do monte refrescava as gargantas secas de quem por ali passava, vindo das centenas de courelas de cultivo, dispostas em socalcos, dos Carreiros ao Torrão, ou era transportada a cântaros para a povoação, à cabeça das mulheres ou ao ombro dos rapazes.

Muitos ainda recordam esses tempos. Muitos ainda vestiram fatos domingueiros e roupas de trabalho ali lavadas, na pedra áspera do tanque, e coradas ao sol escaldante do verão.
Felizmente os tempos mudaram. Mudaram os tempos e o aspecto do local. A Fonte foi reconstruída, o tanque melhorado, o ribeiro emanilhado e a área envolvente convenientemente arranjada.

Sem silvas, sem mato, sem feno e com um plátano de grande envergadura a cobrir o espaço, a Fonte do Vale da Serpa é actualmente um local onde as pessoas se sentem bem, por ser agradável e apetecível.

Por isso, não é de estranhar a “romaria” que anualmente ali é feita, onde para lá dos necessários trabalhos de limpeza se aproveita a oportunidade para uma almoçarada a condizer, com o ar puro da mata a inundar os pulmões e o cheiro dos eucaliptos a deliciar-nos as narinas.

Este ano aconteceu a 26 de Julho, com o almoço, oferecido pelo sócio Manuel Lopes Júnior, a ser confeccionado pelos habituais “mestres” cozinheiros António Penteado e Isidro Félix e em 2010, se nada houver em contrário, lá estaremos de novo, desta feita para degustar mais uma refeição ao ar livre, esta já atempadamente oferecida pelo mais novo sócio da Colectividade, Gonçalo Órfão da Silva.

XV TORNEIO DE FUTSAL DO POÇO REDONDO

Permalink 16:00:10, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

Embora inicialmente previsto para a 1º quinzena de Junho, o XV TORNEIO DE FUTSAL DO POÇO REDONDO acabou por realizar-se nas tardes soalheiras dos dias 12 e 19 de Julho, com a participação das equipas da Associações do Poço Redondo, Vialonga, Chão das Maias e Junceira.

Concluída a primeira jornada, seguiu-se a fase final, onde os vencedores disputaram os primeiros prémios e os vencidos os 3º e 4º lugares.

Com uma equipa quase totalmente renovada, onde os jovens e menos jovens revelaram razoável entrosamento, os da casa estiveram à altura das exigências, chegando mesmo a atingir momentos de elevado rigor técnico, muito acima do esperado.

Mauro David foi eleito o melhor jogador do Torneio,
e concluídos os quatros jogos, a classificação ficou assim ordenada:
1º Assoc. do Poço Redondo
2ª Assoc. dos Chão das Maias
3ª Assoc. da Vialonga
4ª Assoc. da Junceira.

RIR É O MELHOR REMÉDIO

Permalink 15:56:13, Categories: Número 11 - Outubro 2009  

- Joãozinho, já fizeste os trabalhos de casa?
- Sim, mãezinha
- Mas como, se a folha está em branco? - observou a mãe.
- Pois está! É que o tema da composição era "As consequências da preguiça".

Um tipo fez análises durante cinco anos, até que descobriu que ele, o pai, o avô e os cinco tios tinham tendências homossexuais. O psicólogo estupefacto perguntou-lhe:
- Mas não há ninguém na sua família que goste de mulheres?
- Claro que há, as minhas quatro irmãs!!!

Diz o cego para o paralítico:
- Então como tens andado?
- Olha, como vês...

:: Next Page >>